Mais de 50 mortos enquanto o coronavírus assola o lar de idosos de Massachusetts

Genesis HealthCare, que opera o Courtyard Nursing Care Center em Medford, Massachusetts, confirmou que 117 outros residentes e 42 membros da equipe também testaram positivo para covid-19.

Nas últimas quatro semanas, 54 residentes de uma casa de repouso em Massachusetts morreram após contrair o novo coronavírus e mais de 100 outros tiveram resultado positivo, já que o número de centros de saúde que relatam casos do vírus mortal continua a aumentar em todo o país.

O Courtyard Nursing Care Center em Medford, Massachusetts, a noroeste de Boston, é uma das mais recentes instalações desse tipo a confirmar publicamente o tributo que o coronavírus tem cobrado de seus residentes e funcionários. As mortes foram primeiro relatado segunda-feira pelo Boston Globe, que notou que a piora da situação no centro de 224 leitos escapou da divulgação pública por semanas.

Além das mortes, 117 residentes e 42 membros da equipe testaram positivo desde então, Genesis HealthCare, que opera a casa de repouso, disse em um comunicado ao The Washington Post.





A história do anúncio continua abaixo do anúncio

Cuidamos de idosos em grande parte frágeis com várias condições de saúde que já são mais suscetíveis ao resfriado comum, sem mencionar um vírus mortal e altamente contagioso como este, disse Richard Feifer, diretor médico da Genesis HealthCare, no comunicado. Feifer disse que a idade média dos residentes que morreram nas instalações de Medford era maior de 85 anos.

Os lares de idosos e outros centros de cuidados de longa duração em todo o país foram atingidos de forma particularmente dura pelo coronavírus, que representa um risco maior para os idosos e aqueles com problemas de saúde subjacentes. De acordo com a recente análise do Post de dados estaduais e federais, mais de 1 em 6 instalações em todo o país estão agora relatando casos de covid-19 entre residentes ou funcionários, com uma contagem de mortes estimada em milhares. UMA banco de dados pesquisável mantido pelo The Post lista mais de 2.700 lares de idosos certificados pelo Medicare com pelo menos um caso de coronavírus relatado.



Aumenta o número de lares de idosos com casos relatados publicamente de coronavírus

Mas a análise do The Post indica que os números ainda estão incompletos, já que alguns estados não divulgaram os nomes dos lares de idosos onde os surtos estão ocorrendo ou ocorreram, entre outras discrepâncias nos relatórios de dados. Em abril, os Centros de Serviços Medicare e Medicaid emitiu um mandato para asilos para relatar casos às famílias, pacientes e ao governo federal. Autoridades disseram que a informação seria tornada pública, mas não especificou quando, relatou o Post.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

Dos estados que compartilharam publicamente dados de centros de cuidados de longo prazo em meio à pandemia em andamento, a taxa de mortalidade de Massachusetts nessas instalações está entre as mais altas do país, o Globe relatado , citando números compilados pelo

Em um esforço para ajudar os centros de atendimento a idosos que lutam para conter a propagação do vírus, o governador de Massachusetts, Charlie Baker (R) anunciado em 27 de abril, que o estado gastará até US $ 130 milhões em instalações de enfermagem nos próximos dois meses. O financiamento destina-se a apoiar os custos de pessoal, controle de infecção e equipamento de proteção individual, de acordo com um comunicado à imprensa do gabinete do governador.

Na declaração de segunda-feira, Feifer prometeu que as instalações de Medford e seus administradores estão trabalhando ininterruptamente para manter nossos pacientes e residentes saudáveis ​​e o mais seguros possível.

Estamos fazendo tudo ao nosso alcance - e tudo que os especialistas médicos sabem até agora - para proteger nossos pacientes, residentes e funcionários, disse ele.

Veja mais:

Conheça duas famílias associadas ao Life Care Centre de Kirkland, Wash. Enquanto uma família lida com a perda, a outra visita a mãe através de uma janela. (Alyse Young / The Washington Post)